22/07/2010

História


1. Preambulo:

A modalidade de andebol é implementada no clube no âmbito da estratégia de fomento e desenvolvimento do desporto definida pelas então Forças Armadas Populares de libertação de Angola - F.A.P.L.A., por via do Comité Desportivo Nacional Militar – CODENM.

Forte, dinâmico e mobilizador, o 1º de Agosto assumiu-se desde a sua fundação como uma agremiação desportiva com características ecléticas, o que despertou desde logo o interesse de vários atletas, técnicos e dirigentes de referência na época, para a prática do desporto de alta competição em várias modalidades.

É neste quadro que são formadas as primeiras equipas de andebol em seniores masculinos e femininos.

2. Data da criação do andebol no clube:

Não há uma data precisa e convergente da fundação do andebol no clube. Porém há consenso em relação ao período da sua implementação, que foi no mês de Outubro de 1978.

3. Dirigentes:

A dinamização, criação e desenvolvimento do andebol teve como mentores antigos praticantes da modalidade enquadrados nessa época nas Forças Armadas.

Destacamos o então capitão das FAPLA, Carlos Hendrick da Silva (actualmente General das Forças Armadas Angolana) que foi o coordenador da área do andebol; actualmente é o Presidente Adjunto do clube.

Ao longo do tempo a estrutura do clube tem consagrado na sua hierarquia a função de vice-presidente desportivo que coordena várias modalidades, incluindo o andebol. Exerceram essa função os senhores Ilídio Cândido, Coronel Cardoso Neto, Contra almirante Benuvenito Vaz, e no presente momento o senhor Almirante Augusto da Silva Cunha ´´ Gugu ``.

A partir de 1994, surge a figura do Director Desportivo, que é o executor das políticas e programas definidos pelo Vice-Presidente Desportivo.

António Marques Leal, Jorge de Carvalho (Jojo), José Afonso, Paulo Will e actualmente António Simão Dias ´´ Didi `` são os dirigentes que ocuparam e ocupa essa função.

Após a saída do capitão Carlos Hendrick, e tendo o clube definido na sua estrutura funcional o departamento de andebol chefiado por José Cardoso de Lima, (acumulava com a de atleta); seguiram-se-lhe Victor Lemos “Vitó”, Jorge de Carvalho “Jojó” (ambos também atletas neste período); o último exerceu o cargo de chefe do departamento de andebol até 1993.

A partir do ano de 1994 é nomeado o senhor António Simão Dias “ Didi ”, que exerceu a função até o ano de 2008; actualmente o departamento é chefiado pelo senhor José de Sousa “ Jeko ”, antigo praticante e técnico do clube.

4. Treinadores

Desde a sua criação, o andebol foi servido por técnicos experientes, dinâmicos e voluntariosos.

A primeira equipa de seniores masculinos foi formada em 1978 sendo inicialmente treinada, de forma efémera, (cerca de 2 semanas) pelo professor Espírito Santo, que por motivos profissionais não pode continuar, sendo substituído imediatamente por aquele que é considerado como o treinador mais carismático que passou pelo clube, o técnico Angolano Ernesto Vicente da Costa “ Ti Lara”.

No ano seguinte o Russo Valery Melk integrou o grupo como atleta, exercendo também a função de assessor técnico devido a sua experiencia.

Extrovertido, dedicado e bom condutor de homens e com qualidades pessoais e humanas muito próprias, “ Ti Lara” reunia naquela época o perfil adequado para liderar uma equipa que se pretendia forte e promotora dos ideais das forças armadas no apoio ao desenvolvimento do desporto nacional. Orientou o andebol no clube até ao ano de 1984.

A seguir o clube foi servido por uma nova geração de técnicos, provenientes na sua maioria de ex-atletas do clube como Óscar Nascimento (de 1984 a 1987), e Victor Araújo “ Tó” de 1987 a 1989. A posterior a equipa de seniores masculinos ficou sob responsabilidade do técnico Mário Leonel.

Em 1990 são contratados os técnicos Pina de Almeida e Elísio Campos, sendo Pina técnico de seniores masculinos (até 2002) e Elísio ocupado a função de coordenador técnico e treinador de juniores masculinos até ao ano de 2000.

Após esse período o clube contratou o técnico búlgaro Nikolay Pirgov que treinou a equipa do ano de 2003 a 2006, sendo substituído pelo actual técnico Filipe Cruz, antigo atleta do clube, da selecção Nacional e com uma carreira brilhante em Portugal e Espanha, Filipe exerce também a função de coordenador técnico da área masculina.

Na classe feminina, o primeiro técnico de seniores foi o senhor José de Sousa “Jeko”, tendo como adjunto Nascimento Neto “ Man Nasci” 1979.

Na sequência do projecto a equipa passa sob responsabilidade de Francisco de Oliveira “ Roseira”, antigo guarda-redes da equipa masculina.

Este técnico teve a particularidade de treinar a equipa em duas ocasiões, designadamente de 1983 a 1987 e de 1996 a 1998.

É no intervalo do período acima referido (1994 a 1996), que Pina de Almeida assume o treinamento desse escalão.

Paulo Bunze, estrela da modalidade e atleta de maior proeminência do clube é nomeado treinador principal da equipa em 1998 tendo conduzido-a até ao ano de 2001, auxiliado pelo técnico Júlio Caxito.

De 2002 a 2003, Nelson Catito coadjuvado por Sebastião Lemos e José Nóbrega assumem o comando do grupo.

No período de 2004 a 2006 o Búlgaro Nikolay Pirgov contratado inicialmente para treinar os masculinos dirige também os seniores femininos.

Pavel Dzenev antigo treinador da Selecção sénior feminino dirige a equipa no ano de 2007, sendo substituído no período de 2008 a 2009 pelo Ucraniano Valery Pevnintskie auxiliado por Nelson Catito e de outra antiga glória do clube, Tony Costa.

Tony leva a equipa na sua primeira participação na Taça de África dos Clubes Campeões onde obtêm um prestigioso segundo lugar.

Actualmente a equipa é treinada pelo técnico Paulo Pereira, também ele seleccionador nacional sénior feminino no mundial da categoria realizado em 2009 na China e no Campeonato Africano das Nações realizado em Fevereiro de 2010 no Egipto. Ele exerce também a função de coordenador técnico da área feminina.

4. Atletas.

Seniores Masculinos:

Desde a fundação da modalidade o 1º de Agosto reuniu sempre a volta das suas equipas, gerações de excelentes atletas que ao longo do tempo têm sido em parte o sustentáculo da Selecções Nacionais.

No caso particular dos masculinos é o único clube em Angola no período pôs independência que tem mantido e participado ininterruptamente em todas as provas nacionais, sendo também a equipa com maior número de títulos.

A nível das provas Africanas é igualmente a equipa com maior volume de participações e com o melhor palmares competitivo.

Avaliando o percurso histórico das diferentes gerações de atletas podemos apresenta-la da seguinte forma:

* De 1978 até inicio da década de 1980.

Atletas: Cardoso de Lima, Óscar Nascimento, Victor Araújo “Tó”, Batalha, Paulo Bunze, Comandante Mangueira, Nascimento Neto, Joaquim Cunha “Inguila”, Mário Leonel, José de Sousa “Jeko”, Daniel Almeida, João Sabata.

* Década de 80

As anteriores gerações juntaram-se Paulo Bunze, Pedro Godinho, Tony Costa, João Vigário, Amaral Júnior “Maninho”, Pedro Aguinaldo, “Pirula”, Puna Zau, Jorge de Carvalho “Jojo”, Francisco Roseira, Ilídio Cândido, Hespanhol Neto, Chana, Hermenegildo Jasse, etc.

Em ambas gerações destacou-se Paulo Bunze, que é sem dúvidas, a maior referência do clube até ao momento.

Atleta com boa capacidade somática, motora, dotado de excelente habilidade em termos de técnica individual, muito evoluído tacticamente e forte mental e psicologicamente, foi sem duvidas o melhor atleta do clube e da Selecção Nacional até hoje.

Várias vezes melhor atleta nacional foi também considerado o melhor atleta Africano no ano de 1985.

Teve uma carreira internacional êxitosa em Portugal em representação do Benfica onde foi Campeão sete (7) vezes e também pelo Belenenses no inicio da década de 90, onde conquistou igualmente o titulo de campeão.

Nesta geração destacaram-se também João Vigário, Pedro Godinho, Tony Costa, Victor Lemos, sem desprimor para os demais pois tratou-se de uma das melhores gerações que o clube teve.

O sete inicial era:

Guarda rede ---João Vigário

Ponta esquerdo---Maninho

Ponta direito ---Vitó

Pivot---Chana

Meia distancia central---Tony Costa

Meia distancia esquerdo---Paulo Bunze

Meia distancia direito---Pedro Godinho.

Ao longo desse período muito foram os jovens provenientes dos escalões inferiores e de outros clubes que ascenderam a equipa sénior num processo de renovação sustentado, como Eduardo Duarte ´´ Eduardinho ``, Eurico júnior ´´ Dó``, José Nóbrega, Celestino Cunha, Amílcar Aguiar, Filipe Cruz, Hélder Ferreira, João Nzadi ´´ John ´´ Torres, Zelio Cunha, Rui Sampaio e outros.

Essa geração conquistou a nível nacional vários títulos de campeão nacional tendo atingido o apogeu com a obtenção da medalha de Bronze em 1986 em Libreville (Gabão).

Na década de 90 há uma renovação profunda na sequência da emigração de alguns atletas e abandono de outros.

Assim é constituída uma nova equipa cuja estrutura era:

Zélio, Tony Casanova, Sebastião Lemos, Óscar Rodrigues, John, Eduardinho, Hélder Ferreira, Genipro, Hélder Valente, Nelson Catito, José Macueira, ´´Chuvina `` Francisco Lourenço, Júlio Caxito, Benjamim Manuel Ndongo, Nelito.

Esta equipa conquistou sete (7) títulos Nacionais e três Medalhas de Bronze da Taça de África dos Clubes Campeões.

Essa geração reconquista o 3º lugar em 1993 em Tunis onde participaram entre outras equipas, o Zamalek do Egipto, Esperance e Sahel da Tunísia.

O sete iniciais habitualmente era:

Guarda redes---Lemos

Ponta esquerdo---Hélder Ferreira

Ponta direito---Eduardinho

Meia distancia central ---Catito

Meia distancia esquerdo---Hélder Valente

Meia distancia direito---Genipro

Pivot ---Óscar Rodrigues

A estes juntaram-se outros jovens provenientes das escolas do clube como José Teodoro “Maninho”, Licínio Pascoal, “Lito”, Edson Faustino, “Calito”, Marcelino Nascimento “Manucho”, Sérgio Lopes, Alfredo Ngongo “Caty”, Paulo Pereira, Bolinha.

Aos jovens que deram sequência a geração anterior juntaram-se entre 2007-2008, os atletas Yuri, Bana, Geovany Muachissengue, Belchior Camuanga, “Show Baby”, Mateus, André Cassapi “Matos”, António Costa “Malange”, o congolês Senfu Mpolo, Joaquim Raul, Patrício Baptista.

No ano de 2007, este grupo conquista todos os títulos a nível nacional nomeadamente os campeonatos Provincial e Nacional, a taça e Super Taça de Angola e tem o mérito de ganhar a primeira medalha de Ouro na Taça de África dos Clubes Campeões realizado no Cotonou (Benim); é ainda atribuída a equipa a Super Taça Babafall por ausência da equipa do Zamalek do Egipto.

Treinada pelo ex-internacional Filipe Cruz e Nelson Catito.

O ´´sete´´ inicial era:

Guarda redes …Geovany

Ponta esquerdo …Manucho

Ponta direito …Show Baby

Pivot …Matos

Meia distancia Central…Yuri

Meia distancia Esquerdo. …..Maninho

Meia distancia. Direito...Paulo Pereira


Actualmente a equipa de seniores masculinos viu-se privada dos seus principais atletas das épocas anteriores.

Iniciou-se um novo ciclo sendo a equipa composta maioritariamente por jovens.

É constituída pelos seguintes atletas:

Adilson Adriano, Abílio Cachacha, Gabriel Teca, Vanilson António, Show Baby, Eduardo Ferreira ´´Moreno``, Romé Webo, Gilberto Figueira, Joaquim Raul, José Kalualua, Malange, Geovany, Sofrimento Pinto, Omar Ndavoca, Gabriel Teca, Adilson Maneco, o Camaronês Fankoua William e o Congolês Veduso-Te-Ealida.

Seniores femininos:

Tal como os masculinos esta classe foi formada em 1978.

Com José de Sousa “Jeko”, como técnico principal, auxiliado por Nascimento Neto “Man Nasci” e Roseira, é constituída pelas atletas Elisabeth Bondo, Sónia Safeca, Ana Garrido, Graça Bandeira, Ana Macuéria, Laudemira de Sousa “Kanina”, as irmãs Tita e Sofia Cerqueira, Elisa Peres, Filu, Paula “esquerdinha”, Paula “Pivot”.

Esta equipa manteve parte da sua estrutura até ao ano de 1983.

A partir de 1984 uma nova geração de atletas provenientes na sua maioria dos escalões de formação, mais algumas vindas de outros clubes, constituída por Isabel da Conceição, Justina, Maria João, Lukita, Chita, Luzia Bezerra “Prazeres”, Nazaré “Canhota”, Cláudia, Paula Rosa, Madalena Silva “Tucha”, Gita, Geny, Luísa Bondo, “Luisinha”, Ana Lúcia, representaram a equipa até ao ano de 1987, ano em que por decisão da Direcção do clube é extinguida a classe sénior feminina.

O clube volta a apostar na classe feminina em 1994 e desta vez em todas as categorias; treinada por Pina de Almeida, este grupo é formado por atletas proveniente de outros clubes (principalmente do G.D. da Cuca), tendo como referência Conceição Jorge “São” Rosinha, Maria Wanga, Catarina Gongo “Caty”, Joaninha (guarda-redes), Joaninha Pivot, Nazaré e outras.

Em 1997, constitui-se um grupo mais forte com a integração de novas atletas, provenientes em grande parte de Benguela, nomeadamente Regina Camumbila “Chinha I”, Gina “Ponta”, Hélia Evaristo, Gertudes Livulo, “Chinha II”, Catarina Santos “Caty”, Natália Campos, e posteriormente Teresa Ulundo “Chinha III”, sendo treinada por Francisco Roseira.

De 1999 a 2001, assume a liderança da equipa Paulo Bunze, que faz uma simbiose entre as anteriores e nova geração, incluindo Nelma Pedro, formada já nas novas escolas do clube.

De 2003 a 2006 inicia-se um novo ciclo constituído por algumas atletas do grupo anterior e outras vindas de outros clubes. Neste período representaram o clube Caty, Manuela, Natália, Chiquinha, Francisca, Josefa, Esperança, Educa, Tucha, Odete, Paula, Nelma, Luisinha, Calado, Violeta, Samy, Saldanha, Paula, Elzira Tavares, Inês, Neide Barbosa, Cilizia Tavares, Violeta, Saldanha, Neusa, Nelly, Nilsa Varela.

integram também o grupo as atletas formadas no clube, Cajó e Jurema.

Treinaram a equipa os técnicos Nelson Catito e Nicolay Pirgov respectivamente, tendo como destaque o 2º lugar obtido nos campeonatos nacionais em 2004 e 2005.

No triénio 2007/2009, muitas da anterior equipa deixaram de representar as cores do clube, entrando para a equipa as jogadoras Ruth, Anastácia Sibu, Tatiana, Liliana, Cristina Branca, Denise, Lourdes Monteiro, Elisabth Viegas, Wuta Dombaxi, Tatiana, as atletas de nacionalidade Russa Maria e Natasha; ao grupo juntaram-se as atletas Jurema Cailo “Jú”, Azenaide Carlos e Laurena “Lau” promovidas dos escalões de formação.

Neste período foram técnicos da equipa Pavel Dzhenev, Valerie Pevnintskie coadjuvados por Nelson Catito e Tony Costa.

A equipa obtém o 2º lugar no campeonato nacional disputado em Setembro de 2009 na cidade do Kuito (Bié), e participa pela 1ª vez na taça de África dos clubes campeões realizado em Outubro deste ano na cidade de Yaoundé, República dos Camarões. A equipa classificou-se em 2º lugar numa final Angolana com o Petro de Luanda. Tratou-se de uma classificação muito honrosa e que prestigia a aposta e investimento que o clube tem feito nesta classe.

A equipa foi orientada nesta prova pelos técnicos Tony Costa e Nelson Catito.

Na presente época (2010) a equipa é formada pelas seguintes atletas:

Guarda-redes---Odete Tavares, Cristina Branca, Cláudia.

Meias distancias---Azenaide Carlos, Wuta Dombaxi, Lourdes Monteiro, Natacha, Wandy, Edna, Tatiana, Lisandra, Laurena Carlos, Nelma Pedro, maravilha Luis.

Pivots---Elisabete Viegas, Denise.

Pontas--Carolina Morais, Lindalva, Elisabeth Cailo “ Jú ”, Jurema Viegas “ Cajó ”, e Núria.

É com orgulho que constatamos que fazem parte da actual equipa sete (7) atletas formadas nas nossas escolas, nomeadamente Cláudia, Azenaide, Maravilha, Wandy. Lisandra, Núria e Lindalva, todas elas vindas da nossa canteira, a ´´ escola de andebol do Miramar ``.

É de salientar que estas atletas cumpriram todas etapas de formação (dois ciclos olímpicos - oito anos) desde os iniciados até as seniores.

É treinador da equipa, o técnico Paulo Pereira.

4.1. Os escalões de formação (1ª Geração):

Juniores Masculinos:

A primeira equipa de Juniores, teve na sua geração atletas proveniente das escolas, núcleos de massificação e alguns clubes tradicionais como o Sporting, o Belenenses, Atlético, Futebol Clube de Luanda e outros.

Constituída em 1978, foi treinada inicialmente por Mário Leonel, sendo substituído em 1979 por José Cardoso de Lima; teve como atletas Augusto “Chuchu”, Giló, Lucrécio Costa, Francisco Roseira, Garnacho, Ilídio Cândido, Godinho, Pirula, António Dias ´´ Didi `` Hespanhol Neto, Silvério Neto, Jasse, Tony Costa etc.

A essa geração juntou se na década de 80 Eduardo Duarte ´´ Eduardinho ``, Eurico Cardoso ´´ Dó ´´ Nóbrega, Torres, Amílcar Aguiar, Zelio Cunha, Celestino Cunha, Dalas, os irmãos Hélder e Zito Ferreira etc.

Neste processo muito atletas destacaram-se pelas suas qualidades físico atléticas e técnicas, reforçando e constituindo muito deles a ´´ espinha dorsal `` da equipa sénior, casos de Pirula, Hespanhol, Ilídio, Tony Costa, Eduardinho, e a posterior Cunha, Hélder, Zélio e Dó, citando apenas alguns.

Juvenis Masculinos.

A 1ª equipa é criada no ano de 1981 na categoria de juvenis masculinos, provenientes na sua maioria dos torneios escolares.

Constituem a equipa os miúdos:

Amílcar Aguiar, Eurico Cardoso ´´ Dó ``, Albano Cardoso ´´ Baninho ``, Rui Neto, Falcão, Dalas “Canhoto”, John, Ludovico, Zélio Cunha, Tozé “Múkua” Lucrécio Costa, Vitinho, Betinho, Jojó do bairro popular, Marques “Bassovava”, Guimarães “Guimas”, Gajinho, Zé gordo e outros que vamos conhecendo a medida que obtemos mais informação.

Treinada por Mário Leonel, participa no 1º campeonato Nacional realizado em Luanda, classificando-se em 3º lugar; o vencedor desta prova foi a equipa de Cabinda.

Esta equipa toma parte também no Nacional realizado na cidade do Huambo em 1983, onde se consagra Campeão Nacional.

Em 1984 sob orientação de Divaldo Ângelo participa e é campeão da prova realizada na cidade do Dundo – Lunda Norte. Integram já esta geração Rui Sampaio, Babá, António Santos “Sales”.

Juvenis femininos

Tal como na categoria masculina, em 1980 foi feito igualmente um investimento a nível da formação feminina com a criação da 1º equipa de juvenis.

Treinada inicialmente por Nascimento Neto e no ano seguinte por Roseira, coadjuvados por Nóbrega e Hélder ferreira, a equipa foi formada por algumas meninas residentes nos bairros Miramar, bairro operário, Miramar e outros. Nessa época foi constituída basicamente pelas atletas Paula Rosa, Maria Manuela, Paula Cristina, Madalena Neto, Graciete, Luísa Bondo ”Luisinha”, Isabel da Conceição “Belinha”, Bela Gorda, Cláudia, Eugenia “Geny”.

Juniores Femininos:

Em 1982 fruto da ascensão das atletas que formaram a 1ª equipa de juvenis é aberto o escalão de juniores. A elas juntam-se Justina, Nazaré, Maria Antónia, Ana Lúcia, Gita, Madalena Silva “Tucha” e Luzia Bezerra “ Prazeres” proveniente do Têxtil de Luanda. Treina a equipa o técnico Roseira auxiliado por Nóbrega e Hélder

Mensagem do Presidente Adjunto


É com enorme satisfação e estima que temos a subida honra de nos dirigir a família D’AGOSTO, e em particular a todas as pessoas que se identificam com a modalidade de ANDEBOL.

Como sabemos o 1º de Agosto é um clube que adoptou desde a sua fundação uma identidade e perfil próprios, sendo uma das mais relevantes, a sua característica eclética.

Formado por decisão do comando superior das Forças Armadas, por via do então Comité Desportivo Nacional Militar - CODENM, assumiu-se na época como uma agremiação dinâmica e impulsionadora do desporto a nível da alta competição, assim como na generalização e

fomento dos escalões de formação nas diversas modalidades.

É neste âmbito que em 1978 por iniciativa de antigos praticantes da modalidade, muitos dos quais membros das forças armadas, o clube decidiu incorporar no leque das disciplinas desportivas a modalidade de ANDEBOL.

Estiveram na sua génese personalidades como o então capitão Carlos Hendrick, o técnico Ernesto Lara e os atletas Cardoso de Lima, comandante Mangueira, Joaquim Neto “Inguila”, Victor Araújo “Tó”, e Nascimento Neto para citar apenas alguns.

Desde a sua fundação o andebol assumiu-se logo, devido à qualidade dos seus praticantes e nível desportivo das suas equipas como uma modalidade de grande adesão e impacto junto da população, criando uma empatia que serviu de modelo de referência para o surgimento de novas equipas e praticantes.

O percurso desde então tem sido de grandes desafios e sucessos, com destaque para a conquista de vários troféus nacionais e internacionais.

Em masculinos, destacam-se entre outros, 19 títulos de campeão nacional, a medalha de bronze conquistada em 1986 em Libreville (Gabão), e o título de campeão africano de clubes em 2007 em Cotonou (Benin).

A nível de femininos o investimento efectuado ao longo de vários anos começa agora a dar frutos, posicionando-se como uma das melhores equipas do país e do continente, tendo alcançado na época passada (2009), o 2º lugar no campeonato Africano de clubes em Yaoundé (Camarões).

É com orgulho que somos justamente considerados o maior clube de andebol do País, movimentando todos os escalões em ambos os sexos, sendo a nossa escola de andebol do Miramar reconhecida como uma referência nacional, por se tratar de um local consolidado no que diz respeito a formação desportiva dos atletas, assim como na orientação pedagógica, psico-social, moral e humana de centenas de jovens e crianças que a frequentam, contribuindo também por via do desporto para a formação integral da nova geração.

Salientamos também a actual infra-estrutura moderna, localizada no Quartel do Estado Maior General do Exército “RI20”, construída com o objectivo de promover e integrar novos praticantes nesta área da cidade, onde encontram-se nos bairros próximos, um universo de crianças potencialmente seleccionáveis para a prática da modalidade.

Ainda no âmbito do nosso contributo para o desenvolvimento da modalidade, decidimos em Dezembro do ano passado (2009), criar um núcleo de formação do clube na cidade de Cabinda.

Na alta competição temos como meta assumir-se como uma das maiores potências da modalidade no País e em África.

Ao cruzar a 1ª década deste século, é importante afirmarmo-nos como um clube moderno que procura a excelência, adaptando-nos aos novos modelos, valores, e visão da modalidade no mundo, buscando e partilhando experiências e conhecimento junto de instituições internacionais como a Confederação Africana de Andebol – CAHB, a Federação Internacional de Andebol – IHF, o Comité Olímpico Internacional – COI, e outras congéneres.

Para se adaptar aos novos tempos devemos também valorizar e divulgar a marca “1º de Agosto Andebol ”, procurando criar sinergias e parcerias tanto públicas como privadas, para capitalizar apoios que permitam iniciar um processo que leve a médio prazo criar meios próprios que contribuam para a sua sustentação.

A entrada em vigor da Web Site do Andebol é muito importante para o Clube, pois devemos aproveitar as oportunidades que as novas tecnologias de comunicação e informação nos oferecem, para interagir de forma dinâmica e oportuna com pessoas e instituições, afim de darmos a conhecer as nossas actividades, produtos e projectos.

A todos os que nos visitarem aproveitamos a ocasião para manifestar todo o nosso apreço e disponibilidade.

Finalmente, encorajo a todos os companheiros de Direcção, membros das Forças Armadas, atletas, técnicos e funcionários a manterem a mesma atitude, dedicação e fidelidade na nobre emissão de manter o clube e a modalidade no patamar do desporto nacional e internacional.

Aos nossos adeptos, patrocinadores e outras pessoas de boa vontade, os nossos sinceros agradecimentos pelo contributo, carinho e confiança de que temos merecido, na gestão do nosso glorioso clube.


BEM HAJA D’AGOSTO!!!

BEM HAJA O ANDEBOL !!!

D´ AGOSTO FORÇA !!! D´ AGOSTO SEMPRE!!!

General.Carlos Hendrick