19/11/2010

ENTREVISTA;JANINA DE SOUSA-ASSISTENTE SOCIAL DO ANDEBOL


No âmbito do projecto de desenvolvimento do andebol, existe uma área pouco referenciada na imprensa, que no entanto é muito importante devida a complexidade que ela encerra por abordar a génese de todos processos de desenvolvimento humano: "as relações entre as pessoas no meio social em que se encontram inseridas".

É compreendendo, que por trás do atleta, está a pessoa humana enquanto ser social com características individuais inatas, hábitos e culturas próprias do seu meio, com desejos e "anseios", que a área do andebol desenvolve paralelamente com a prática da modalidade um amplo trabalho de acompanhamento e assistência social das atletas.

Lidera desde o inicio este projecto a nossa colega Janine de Sousa. A sua relação com o desporto e a modalidade não é casual, pois provem de uma família de desportistas com história na modalidade e no clube.

Ela é filha de dois antigos atletas do andebol, e destacados dirigentes da modalidade, o Sr. José de Sousa "Geko" e a Sr.ª Laudemira de Sousa "Kanina".

Convidamos a todos nossos visitantes a acompanharem a interessante entrevista que temos a honra de apresentar:


Como e quando surgiu a ideia de criação da área de assistência social no clube?

R: A ideia de assistência social partiu do presidente adjunto do clube o senhor general Carlos Hendrick em 1999, devido a falta de alguém que acompanhasse de perto as atletas de tenra idade no inicio da sua actividade desportiva.


Qual o objectivo e missão que sustentaram a criação da área?

R: O objectivo e missão principal da assistência social, è o acompanhamento das atletas dentro e fora do campo, por outras palavras quando faltam aos treinos, o porquê da ausência, seu comportamento dentro do grupo e relação com as outras colegas, relação com o treinador; se existir algum problema tentar ajudar a solucionar da melhor maneira possível, acompanhar os resultados académicos e presenças nas escolas, pedir a colaboração dos pais e interagir com eles sempre que possível para melhor desempenho das atletas na sua vida desportiva, social e académica; a assistência social também trata da vida social dos atletas organizando programas sociais como idas ao cinema, museus, teatro, palestras para dotar as atletas de mais conhecimentos, em tudo do quotidiano.

Como organiza os conteúdos e tarefas relacionado com o trabalho de assistência social as atletas?

R: As actividades são organizadas semanalmente e geralmente aos fins-de-semana que é quando as atletas não têm aulas e têm mais tempo livre. Os programas sociais são organizados consoante as carências da equipa.


Qual o grupo alvo?
R: O grupo alvo é iniciadas, juvenis e juniores.


Quais os meios de diagnóstico mais relevantes para elaborar o perfil do atleta que necessita de ajuda para melhorar o seu comportamento?

R: As equipas tem psicólogos que fazem acompanhamento das atletas, e a assistência social trimestralmente faz questionários e fichas de avaliação.


Como avalia a sensibilidade / aceitação das educandas em relação ao trabalho de apoio social?

R: Para as atletas por começarem em tão tenra idade as assistentes sociais são vistas como 2ªs. Mães; a aceitação é óptima.


Para além da assistência social é feito o acompanhamento do comportamento psicológico dos atletas, para avaliar o carácter da personalidade individual de cada uma? Se sim diga como é feito o acompanhamento.

R: Temos psicólogos a trabalhar com as escolas de formação.


Sente que tem atingido os objectivos definidos para esta missão?
Dê exemplos práticos.

R: Eu sinto que tenho atingido os objectivos que o clube quer, e o que eles confiaram em mim porque como prova disso 2 atletas que estão hoje na selecção sénior feminina, a Rossana Quitongo e a Azenaide Carlos foram atletas postas por mim a treinar nas escolas da formação na altura que se criou a assistência social. E uma das coisas que mais orgulha o clube, é ter todas as suas atletas a estudar, e quase toda a equipa sénior na universidade, porque um dos nossos regulamentos internos é ter todo mundo a estudar porque queremos bons quadros para o Pais além de boas atletas.



Existe diferença na assimilação dos valores relacionados com boas práticas sociais entre os distintos escalões?
Se sim, explique as principais diferenças.

R: Não.


Qual o papel dos familiares ou encarregados de educação para o êxito deste trabalho?

R: Os pais são fundamentais para o sucesso da assistência social porque são eles que podem facilitar ou dificultar o nosso trabalho, porque a educação parte em 1º lugar de casa e os filhos obedecem sempre aos pais; então pais participativos que conversam com os filhos puxam por eles para os treinos e formação académica é muito importante para que o nosso trabalho tenha êxito.


Como avalia o resultado do trabalho de assistência social dos atletas ao longo do tempo que lidera o projecto e o seu impacto nos seguintes aspectos:

Relacionamento no grupo:
R: Muito bom.

No rendimento da equipa:
R: Muito bom.


No aproveitamento escolar:
R: Muito bom

No seio das suas famílias:
R: Muito bom.


No seu trabalho é comum deparar-se com atletas potencialmente conflituosas (com carácter da personalidade do tipo sanguíneo ou mesmo colérico)! Descreva os métodos utilizados para melhorar o seu comportamento, e sucesso na sua integração social (socialização positiva) na equipa e fora do ambiente do clube?

R: Em toda sociedade tem sempre pessoas que sobressaem-se por ser conflituosas, e no desporto isso não é excepção; geralmente os nossos psicólogos fazem um acompanhamento a essas pessoas, e nós com ajuda dos pais tentamos aos poucos ir moldando a pessoa para que melhorem, e temos tido sucessos.




Quais os projectos e metas da área de assistência social nos próximos tempos, tendo em atenção o crescimento da modalidade de andebol no clube?

R: Com o crescimento das equipas e o número de pessoas nessa área a aumentar, o objectivo principal para os próximos anos é continuar e melhorar o serviço que já vem a ser feito a 11 anos, sem esquecer que o atleta esta em 1º lugar e cumprindo o projecto do clube que é ter equipas grandes e campeãs nacionais e internacionais a representar Angola com a selecção sénior.



Que conselhos dirige, a outros clubes e instituições da modalidade sobre a importância da assistência social aos nossos jovens atletas?

R: Infelizmente no nosso país só o 1º de Agosto tem a área de assistência social, o que é triste porque há clubes grandes que têm capacidade para ter essa área e não têm; acho que todos nós devemos nos lembrar que antes de ser atleta, a pessoa é um ser humano e tem outras necessidades que também precisam ser supridas como descanso, diversão, convívio em sociedade, e não só, pelo que a assistência social ajuda muito nessa interacção entre o clube e atleta, bem como clube e a família do atleta, as condições sociais de cada uma, o relacionamento inter grupo; por isso se outros clubes poderem investir na área social é muito importante.



Caso tenha mais alguma informação relacionada com esta importante área de apoio aos atletas, agradecemos a devida descrição.

R: Qualquer outra questão ou esclarecimento estou disponível. Uma das actividades mais importantes e que faz com que todos os membros da modalidade interajam é o almoço de natal que é realizado todos os anos pela assistência social, onde participam todas as equipas de andebol do clube, em femininos e masculinos; cada equipa apresenta algo como peca teatral, desfile de moda, danças, poemas...Outra coisa que a assistência social tem estado a fazer, é quando nota que numa disciplina académica particular, como por exemplo matemática há muitas negativas, com ajuda do clube arranjam-se explicadores para as atletas; assim antes dos treinos as meninas têm explicação.


Breve perfil:

Nome: Janina Manuela da Fonseca Pereira de Sousa; "Janina".

Função que exerce no clube: Assistente Social das equipes de andebol feminino.

Tempo de existência do projecto: 11 anos (desde 1999)

Formação académica / profissional: licenciada em contabilidade e finanças

Pratica desportiva / Modalidade:

R: Pratiquei Basketeball e andebol no 1º de Agosto durante 4 anos.








Muito obrigado

Elísio Campos

Fonte – Gabinete de Gestão da Pagina Web do Andebol

Sem comentários:

Enviar um comentário